Jogar bola, pular corda, nadar na casa do vizinho, dar piruetas no meio da rua, competir para ver quem corre mais…. Isso tudo é brincadeira de criança, mas você reparou que muitos esportes profissionais têm esses princípios como base? Já ouviu falar na Iniciação Esportiva (IE)e sua importância para a formação de atletas?

Cidades recebem investimento para promoção das práticas esportivas, e daí surge a iniciação esportiva. Os jovens matriculados regularmente nas escolas podem participar das atividades desenvolvidas: futebol, vôlei, judô, basquete, natação e outros.

Algumas escolas de cursos livres oferecem a iniciação esportiva voltada para crianças de 1 a 14 anos, com a intenção de promover a interatividade e o domínio da força e do equilíbrio por exemplo.

Além disso a IE propaga a importância esportiva para o país e é um passe para a formação de novos atletas. Geralmente essas atividades contribuem para o desenvolvimento físico, social e cultura dos jovens. 

É importante frisar que apesar de serem realizados por jovens, essa iniciação é monitora por profissionais pedagógicos para que não haja excessos que possam vir a comprometer a saúde mental e físicas das crianças e adolescentes envolvidos.

Da Iniciação Esportiva para a categoria de base

A categoria de base é a prática esportiva realizada por crianças e adolescentes dentro de uma agremiação esportiva, ou seja, regularizada por um clube e possui o objetivo de formar e revelar novos jogadores.

Sendo assim, grandes nomes do esporte são encontrados em os jogadores da base, que também são conhecidos como o “júnior”. Essa base é dívida em categorias: sub 11, 13,14,15,17,20.

Esses espaços são de extrema importância por servem de passagem para o mundo profissional, principalmente para adolescentes menos favorecidos economicamente. Além disso, incentiva o esporte e a busca por objetos, o problema é que nem sempre esses CTs têm estruturas adequadas, tanto por falta de investimento quanto por puro descaso dos clubes.

Por: Emily Cardoso

Comments